My Golden Dress | 27 meses da Sara - Ai esta Pré-Pré Adolescência...
Vou vos contar... Não estava à espera que fosse assim tão difícil.
27 meses de idade, pré-pré adolescência, Sara, Solange Hilário, milestones, desenvolvimento infantil
1129
post-template-default,single,single-post,postid-1129,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.4,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0,vc_responsive

27 meses da Sara – Ai esta Pré-Pré Adolescência…

Vou vos contar… Não estava à espera que fosse assim.

Já me tinham dito que os dois anos eram complicados, mas, confesso, sempre pensei que fosse exagero dos adultos que nunca têm paciência e estão sempre demasiado ocupados no seu mundo para perceber o que vai na cabeça dos pequenotes.

Mas não… Os dois anos são mesmo um verdadeiro teste à nossa paciência e capacidade de gestão de conflitos.

Desde o dia em que completou os dois anos de idade, mês após mês, a nossa Sara vai mostrando a sua personalidade (e que personalidade) de forma cada vez mais evidente mas sem grande noção de como o fazer.

“Não, é da Sara” , “É meu!” , “Não quero!”, ” Agora é Sara” são algumas das frases favoritas da pirralha que já não aceita que lhe seja dada uma refeição à boca e sempre que o faço (ou tento) tenho que lidar com uma verdadeira DRAMA QUEEN que se atira para o chão com as mãos na cara enquanto finge que chora… Estão a perceber o nível em que estamos?

 

Qual adolescência? Isto sim é difícil de lidar!

 

A frustração de não conseguir fazer as coisas que quer, de ouvir ‘Não’ ou simplesmente não conseguir transmitir o que precisa, leva a Sara  a ter reações completamente exacerbadas e inesperadas com as quais, muitas vezes, não sei lidar… JURO!

Quando tento conversar com ela, como sempre fiz, em tom calmo, ao seu nível, ela grita mais alto do que eu para não ouvir e não aceita um abraço de conforto porque sabe que a estou a tentar acalmar. É incrivelmente difícil não perder as estribeiras, fico desesperada. É quase como se de repente tivesse deixado de conhecer a minha menina.

Os ciúmes do pai e da mãe também começam a ser uma constante, principalmente em relação a outras crianças. Sempre que eu ou o pai cumprimentamos, abraçamos ou brincamos com outra criança, soa a estridente Sirene-Sara e muito rapidamente algo tipo Esse é Pai da Sara, essa é Mãe da Sara e essa é Sara!”. Vamos sempre tentando compensar a ausência do outro explicando que ninguém deixou de ser pai ou mãe dela por estar com outro(a) menino(a) e que ela pode sempre juntar-se a nós nas brincadeira ou manter-se por perto. É uma menina muito ligada ao pai e à mãe, e sendo o egocentrismo algo natural em qualquer criança, esta é a forma que encontrou para manter o seu mundo a seu gosto.

Mas calma que isto dos 2 anos não tem só coisas más (claro que não).

Ao mesmo tempo, nos momentos calmos e de serenidade, a Sara demonstra ser uma menina cheia de amor e carinho para dar. Os abraços, beijinhos e festinhas são uma constante. Todos os que convivem com a Sara, mesmo que por um dia, ou até mesmo a primeira vez que a veem, não a esquecem. 

Fala pelos cotovelos sem esquecer o ‘ta dia’ (bom dia), ‘bo tadi’ (boa tarde), o ‘obrigado’ , o ‘de nada’ e o ‘por favor’.

Nos tempos livres, a Sara adora ver a ‘Xana Có Có’ (desculpa Xana Toc Toc), desenhar e montar legos. Já conta até dez, mesmo que se esqueça quase sempre do 7 e está numa fase muito gira, a de perguntar ‘O que é isso?’ – Tudo o que vê, pergunta o que é e quando lhe dizemos ela repete. É incrível a velocidade a que vai aprendendo novos conceitos e palavras!

 

 

Neste momento estamos também no processo de mudança de quarto e treino da sanita: Duas coisas muito importantes que estamos a trabalhar sem pressa para não termos o efeito contrário.

Na creche, a Sara já faz sempre xixi e cocó na sanita, em casa nem sempre é assim, é mais preguiçosa, mas sempre que faz xixi na sanita é uma animação, todo o prédio fica a saber!

Quanto à transição de quarto está a ser mais difícil. A Sara sempre dormiu connosco na nossa cama e como devem imaginar começava a ser cada vez mais difícil dormir com ela… Então, decidimos que iríamos começar a deitá-la na sua caminha no quarto dela. O que tem dificultado mais esta transição é a maminha. O facto de não estar ali ao lado à disposição como sempre esteve até então deixa-a muito desconfortável.

 

 

 

 

 

Entretanto também entrou um novo conceito no jogo: O medo.

“Tem medo mamã…!” passou a fazer parte do vocabulário.

 

Sempre que ela diz que tem medo eu tento confortá-la e pergunto do que tem medo. O mais normal é dizer que tem medo do escuro, algo que eu pensei que fosse acontecer muito mais tarde, por isso deixamos sempre uma luz de presença no quartinho durante a noite para que se sinta mais segura.

Foram (e serão) muitas as fases que atravessamos ao longo destes 27 meses, mas sem dúvida alguma as mais desafiantes começaram agora.

 

Esta é a idade em que sentimos que estamos a moldar verdadeiramente esta criança e a definir, conhecer traços da sua personalidade.

 

Acho que o segredo para o sucesso são a paciência e a calma. Quando nos adaptamos ao mundo deles tudo fica mais simples para todos. Às vezes é melhor abdicar do controlo e deixar que tudo flua com tranquilidade, sem gritos, castigos e a tão gratuita palmada que em nada suplementam a educação deles.

E desse lado? Como tem corrido esta fase? Algum truque que precise de saber?

Contem-me TUDO!

 

Um beijinho,

S

 

 

 

 

No Comments

Post a Comment