My Golden Dress | Being a Mom #11 – Eu e o meu (novo) corpo
959
post-template-default,single,single-post,postid-959,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.4,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0,vc_responsive

Being a Mom #11 – Eu e o meu (novo) corpo

Dois anos depois da Sara nascer – Agora sim, faz sentido para mim pensar no meu corpo e em como quero voltar à forma física que tinha antes de engravidar.

Porquê só agora?

Sempre me pareceu inconsciente, a certo ponto, a forma como quase somos obrigadas a, pouco tempo depois de dar à luz, voltar a ter o corpo que tínhamos antes de engravidar. O nosso corpo muda drasticamente em apenas 9 meses – As mudanças são tão grandes que sentimos isso das mais variados formas. Todo esse desconforto físico se deve a alterações físicas que muitas das vezes são irreversíveis, nomeadamente as que são nível ósseo e que alteraram naturalmente as nossas formas.

 

A anca vai alargar, o peito vai aumentar, as pernas vão inchar e sim, vamos aumentar de peso. É tudo natural neste processo, por isso o processo inverso também deve sê-lo.

 

Foi com base nisto que decidi não dar assim tanta importância à minha recuperação física em prol de uma boa recuperação pós-parto e da minha sanidade mental. Seria impensável para mim sujeitar-me a essa pressão psicológica quando toda a minha atenção estava em cuidar da minha filha.

Não, não acho que não estivesse a cuidar de mim. Simplesmente, na minha cabeça, não havia espaço para mais nada a não ser a minha filha e não acho que isso seja um problema.

Então, agora, que sinto que ela já está mais independente e eu mais confiante enquanto mãe, decidi que quero voltar a ter o corpo que tinha há quase 3 anos atrás (dentro do possível).

Como alguns já sabem através de posts anteriores, não engordei muito na minha gravidez, mesmo tendo estado de repouso grande parte dos 8 meses de gestação:

Emagreci 4 quilos nos primeiros 4 meses de gravidez graças aos enjoos e vómitos e ganhei 6 quilos nos outros 4 meses. Ou seja, em comparação com o meu peso antes de engravidar, só engordei 2 quilos. Nunca sofri com inchaço nos membros inferiores, apenas me incharam as mãos umas semanas antes da Sara nascer.

Muitas de vocês devem estar a dizer “Pois, assim também eu!” , “Também não me preocupava com o corpo se tivesse tido essa sorte.” – Mas nem tudo foi bom. Não ganhei peso, mas perdi MUITA massa muscular que não é nada fácil de recuperar.

Sempre tive coxa grossa e (orgulhosamente) tonificada por natureza, e, embora nunca tenha sido uma Kardashian (nem queria), sempre gostei das minhas formas – Sim , falo do rabiosque. A nível abdominal também nunca tive um ‘six Pack’ (porque também nunca trabalhei para o ter – no pain, no gain) mas não me podia queixar, mas, depois do parto, a primeira coisa que disse á minha mãe quando fui tomar duche já na enfermaria foi:

“Mãe, o meu rabo também ficou no bloco de partos!”Estava completamente em baixo de forma, coitado. As pernas? O músculo já era, só dava para ver flacidez e celulite. A barriga nem sequer foi algo com que me preocupasse. Desapareceu quase instantaneamente, não fiz uma barriga muito grande, por isso em termos de volume foi ao lugar em dias, mas estava claramente flácida e a precisar de cuidados a nível de hidratação e foi o que mais me preocupou na altura.

 

Hoje? Como me sinto?

Bem comigo mesma!

 

 

Visto exactamente o mesmo número que vestia antes de engravidar e sinto-me tão confiante como na altura. Peso o mesmo, ando entre os 56 e os 58 quilos, e quero ‘apenas’ tonificar o meu corpo, melhorá-lo, o que só depende de mim e neste momento sinto-me verdadeiramente preparada para isso.

Em breve partilharei convosco a preparação para este processo que vai ser desenvolvido em parceria com a clínica de estética Be Balance.

Espero que este post, acima de qualquer outra coisa, vos inspire a dar tempo ao tempo, dar tempo a vocês mesmas.

 

A gravidez é um milagre da natureza que escolheu o nosso corpo para se concretizar. Não deixem que a beleza desse momento se desvaneça na utópica perfeição que a sociedade nos impõe.

 

Sejam vocês mesmas: Com muita saúde e muito, muito felizes!

Um beijinho,

S

 

No Comments

Post a Comment