My Golden Dress | Being a Mom #2 – Pela minha sanidade mental, deixem-me ser MÃE!
754
post-template-default,single,single-post,postid-754,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.4,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0,vc_responsive

Being a Mom #2 – Pela minha sanidade mental, deixem-me ser MÃE!

Solange Hilario grávida

a minha última fotografia grávida – 4 de Julho de 2016 ás 19h

 

18 meses depois… 1 ano e meio…

Onde está aquele tempinho morto em que aproveitava para ouvir música, sentada no sofá? Aquele dia em que acordava, depois de umas boas horas de sono (sem interrupções) e podia decidir, sempre pressa, o que fazer? O que é feito do tempo para escrever aqui o blog, arranjar o cabelo e fazer fotos bonitas? Tudo isto não passa de uma miragem, já nem me lembro bem do que isto é na verdade… Porque a vida, depois daquele momento avassalador, não voltou a ser o que era.

Sei que são muitas as vezes que me dizem coisas do género “Tens que voltar a cuidar de ti como antes”, “Tens que voltar a ter tempo para ti”, mas, sinceramente? Já nem oiço… Porque se ouvisse já tinha dado em louca e o máximo que alguém podia fazer por mim era internar-me num hospício.

Aos poucos, fui simplesmente aceitando que algo tão maravilhoso como ser mãe não podia simplesmente acontecer e, passado o tempo que a sociedade impõe, era como se nada se tivesse passado.

Sara asneiras

quando a Sara achou que a porta do wc precisava de um makeover

 

As prioridades mudam: Deixam de ser a casa arrumada e limpa e passam por ter um bebé a rir descontrolada e amorosamente pelo corredor enquanto desenrola o rolo inteiro de papel higiénico. As unhas de gel? Amiga, em vez de se fazer a manutenção 2 vezes ao mês, faz-se 1 de 2 em 2 meses porque o crescimento da unha não incomoda desde que não corra o risco de cegar a minha filha.  Tempo para o marido? Desculpa querido, mas à hora que a Sara adormece, depois de um dia inteiro… Não tenho paciência nem vontade de mais nada a não ser aninhar-me na almofada e DORMIR… até às 4 da manhã quando a patroa pede mama.

Tudo isto faz parte. Fazemos ‘pause’ em algumas coisas e deixamos de viver para nós mesmas. Tudo o que importará, sempre, é o bem estar dos nossos filhos e não, não há nada de errado nisso.

Então e a carreira? A relação com o nosso mais que tudo?  O nosso bem estar físico e emocional? não devíamos preocupar-nos com isso? – Claro que sim, e é exatamente por nos preocuparmos com tudo isso que devemos relaxar, dar tempo ao tempo e sermos mães, simplesmente, sem pressa de mais nada.

Como li há pouco tempo algures na net, não há mãe que não esteja a perder a sua sanidade mental  a diferença é que umas disfarçam melhor do que outras e eu escolhi não disfarçar. Há dias muito difíceis, em que só apetece sair porta fora e esquecer que a vida existe, mas depois pego no telemóvel e vejo fotos dela, a causadora disto tudo – Tão sorridente, tão pura, tão feliz, tão MINHA… E volto ao meu ponto de equilíbrio. Porque nada nem ninguém alguma vez me fez mais feliz.

Solange Hilário e filha Sara

aquele momento só nosso 🙂 tão bom

É estranho não é? Como é que a maior felicidade do mundo roça tantas vezes a frustração , o desespero? – Basta sermos mães para isso acontecer e não há nada de errado nisso, faz parte.

Por isso, da próxima vez que alguém questionar porque raio a tua vida ainda não voltou ao ‘normal’…

Tapa os ouvidos, ama MUITO o teu filho, todos os dias, e estás a cuidar de ti também.

 

Um beijinho,

S

 

1 Comment
  • Paula Ascensão

    10 Janeiro, 2018 at 21:51 Responder

    Grande verdade 😊 adorei! Não existe nada mais importante que os nossos filhos. Amor incondicional amor para sempre 😍

Post a Comment